Limites: é bom ou ruim?

Será que colocar limites é bom ou ruim? A resposta para esta pergunta é “depende”. No decorrer de um processo de coaching trabalha-se de forma bastante intensa a identificação de crenças. Foca-se, especialmente, em alguma que possa estar bloqueando ou limitando a capacidade do coachee (cliente) alcançar o seu objetivo.

Não é esta vertente que quero abordar hoje neste espaço.

Limite pode ser algo muito positivo, quando se deixa de lado a conotação negativa, pois  é muito importante conseguir-se colocar limites. Quando falo em limites, não digo apenas limites para as outras pessoas, temos que aprender a impor limites para nós mesmos.

Limites colocado ao outro

Com certeza você já conheceu pessoas que tem uma incrível dificuldade em dizer não. Elas não conseguem dizer “não” aos filhos e acabam ensinando de forma enviesada às crianças que elas podem tudo. Com isto, crianças e jovens se julgam no direito de exigir o que querem dos pais. Quando o seu desejo não pode ser atendido por alguma razão ficam extremamente contrariados. Será que na vida adulta todos nossos desejos são atendidos? Como estes jovens irão lidar com a frustração de não terem tudo que julgam direito de possuir?

Nos relacionamentos pessoais, amorosos, com amigos e até com familiares é bastante comum para alguns não dizerem não, quando deveriam colocar claramente até onde se pode ajudar, cuidar, participar e onde está o ponto no qual não se irá adiante.

Ocorre que muitas pessoas tem receio de colocar limites com medo de serem menos “queridas”,  menos aceitas e fazem verdadeiros malabarismos para agradar a todos. A questão é que os outros se acostumam com isso e ficam chocados se algum dia tiverem a ajuda ou a disponibilidade negada. Como assim você não pode me ajudar? O que deu em você? São frases bastante comuns.

O que dizer então em relação aos limites no ambiente de trabalho? Fazer horas extras todos os dias ao custo da saúde física e mental será que vale a pena?

Não faria mais sentido procurar outra ocupação ou outro local de trabalho, planejar uma transição?

Limites colocados a si mesmo

Conheço algumas pessoas com grande dificuldade em aceitar os limites de seu corpo. Elas vão exigindo sempre mais e mais, em total desconexão com as reais necessidades de manter um corpo saudável, ativo e preparado.

É um engano imaginar que apenas o corpo requer repouso e cuidados. Nossa mente e nosso mundo emocional também precisam de atenção, variedade, repouso e diversão.  Vale lembrar que a “limpeza” de nosso cérebro é feita enquanto dormimos. Quando você permite que alguém ultrapasse o seu limite, você está deixando de cuidar de si mesmo e em algum momento isto irá se manifestar. O acúmulo da falta de limite pode trazer inúmeras manifestações, desde uma doença que obriga a pessoa a parar, pode se manifestar através uma crise de estresse em que a pessoa perde seu controle emocional e em muitos casos pode provocar até mesmo o rompimentos de relacionamentos importantes.

Então, é essencial aprendermos a reconhecer nossos limites, respeitando-os, para manter uma vida equilibrada em todas as áreas de nossa vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *